Em 2019 no World Economic Forum (também conhecido como fórum de Davos), foi proposto o termo Globalização 4.0, onde compreende-se que estamos entrando em uma nova onda de revolução industrial, que traz consigo uma força de globalização, conhecida como “a revolução de tecnologias baseadas em dados”. Com isso, as interfaces de integração, também conhecidas como API, tem suma importância em propor um novo nível, em integração de dados de múltiplas plataformas, aumentando assim a capacidade de compreender e utilizar dados de uma maneira estratégica.

Mas o que é API?

API – sigla que vem do inglês Application Programming Interface, que pode ser traduzido como Interface de Programação de Aplicação – é uma forma de integrar as múltiplas plataformas, internas e externas que sua corporação utiliza, facilitando assim a integração de processos e dados.

O grande diferencial é a forma com que você ordena, centraliza ou descentraliza seus dados, para garantir melhor avaliação dos mesmos, transformando-os em informação – que irá apoiar sua empresa em melhorias de processos, insights e decisões estratégicas para seu futuro, garantindo maior flexibilidade e agilidade em qualquer ação.

Embora seja uma função que passa praticamente despercebida por nós, as integrações por API estão muito presentes não apenas no mundo corporativo, mas principalmente em algo que utilizamos todos os dias: as redes sociais! Aplicativos como Facebook, Instagram e Twitter utilizam API para permitir que outros sites e redes vejam apenas alguns dados específicos, garantindo uma melhor experiência e agilidade para seus usuários, uma vez que sua jornada fica mais simples e mais integrada.

Invariavelmente, cedo ou tarde, se você se preocupa com o diferencial futuro de sua empresa, utilizar interfaces de integração é, e sempre será, um fator decisório na grande concorrência de mercado, apoiando pilares importantes como inovação, automatização e escalabilidade.

Por isso, uma alternativa para as empresas é fazer a integração da assinatura digital de documentos ao próprio sistema por meio de uma API.

Como funciona a API na geração de um documento para uma assinatura eletrônica?

Cedo ou tarde, automatização de processos e facilidades serão fatores decisivos para o mercado. Assim como diferencial para seu cliente, soluções como assinaturas eletrônicas trazem um ganho de tempo e custo operacional inestimáveis.

Em uma avaliação de largo espectro, a D4Sign concluiu que a integração do processo de assinatura eletrônica via API’s dobra a eficiência em seus processos, conversões e reduz custos.

Se você já possui integração com essa ferramenta no seu processo corporativo, vamos entender como funciona essa inclusão com a nossa plataforma:

Todo o processo de integração de API’s da D4Sign é baseado em uma estrutura de REST (definação por Red Hat https://www.redhat.com/pt-br/topics/api/what-is-a-rest-api), onde você tem total acesso a ferramentas necessárias para automatizar seu fluxo de assinatura eletrônica.

Isso significa que, não importa qual seu sistema, ou quantos sistemas você utiliza, a D4Sign sempre conseguirá estar integrada aos seus processos e dados. Se você se interessou pelo assunto, confira mais informações em https://wiki.d4sign.com.br

E se restou alguma dúvida, que tal bater um papo com a gente para que possamos te explicar como a D4Sign pode funcionar para o seu negócio?

Por Bruno Kawakami

Deixe uma resposta