Nos últimos anos, algumas atividades – envio de arquivos, transações financeiras e assinatura de documentos – passaram a ser executadas a partir de meios digitais. Junto a isso, cresceu também a necessidade de ferramentas que pudessem garantir a segurança e confiabilidade desses dados, pois essas atividades envolvem informações pra lá de sensíveis sobre seus usuários.

Para entender o nível de segurança de uma assinatura digital, além da chave pública e privada – que são geradas pelo certificado digital – é preciso conhecer também outro instrumento, chamado de Função Hash.

As assinaturas digitais, junto com os chamados ‘hashs’, permitem a validação de dados digitais com alta precisão.

O hash nada mais é que um processo unilateral que converte dados de entrada de qualquer tamanho em dados criptografados de comprimento fixo. Seu propósito é garantir a integridade de uma mensagem, documento ou mesmo da assinatura digital e funciona como uma “impressão digital”, desta forma, seu algoritmo produz saídas exclusivas para cada entrada fornecida.

Resumidamente, ele tem o papel de fazer um resumo codificado do conteúdo assinado digitalmente. No momento de uso da chave pública, todo o documento será confrontado com esse código, sendo que, na menor divergência de informações, a assinatura é “quebrada”.

Vale lembrar que o processo de cálculo de hash e compartilhamento da chave pública acontece de forma automática. 

Essa função de hash pode tornar as rotinas de várias empresas mais seguras e confiáveis. Conte com a assinatura digital da D4Sign e torne o processo de assinatura da sua organização mais seguro e prático!

Acesse o site d4sign.com.br e fale com um dos nossos consultores.

Deixe uma resposta